Compartilhe esta página pelo Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook



Índice de verbetes



Índice de verbetes
A Gênese
A Gênese, os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo
Adolphe Laurent de Faget
Agênere
Alexandre Aksakof
Allan Kardec
Alma
Alma gêmea
Amélie-Gabrielle Boudet
Anastasio García López
Andrew Jackson Davis
Anna Blackwell
Auto de Fé de Barcelona
Banner of Light
Baudin, Irmãs
Bem
Berthe Fropo
Blackwell, Anna
Boudet, Amélie-Gabrielle
Cairbar Schutel
Canuto Abreu
Caridade
Caroline Baudin
Cepa espírita
Charlatanismo
Charlatão
Chevreuil, Léon
Chico Xavier
Cirne, Leopoldo
Codificador Espírita
Consolador
Crookes, William
Daniel Dunglas Home
Davis, Andrew Jackson
Denis, Léon
Dentu, Editora
Dentu, Édouard
Desencarnado
Deus
Divaldo Pereira Franco
Dogma
Dogmatismo
Doutrina Espírita
Ectoplasma
Ectoplasmia
Ecumenismo
Editora Dentu
Édouard Dentu
Epífise
Errante
Erraticidade
Errático
Escrita Direta
Espiritismo
Espiritismo à Francesa: a derrocada do movimento espírita francês pós-Kardec
Espírito da Verdade
Espírito de Verdade
Espírito Errante
Espírito Santo
Espírito Verdade
Espiritual
Espiritualismo
Espiritualismo Moderno
Evangelho
Faget, Laurent de
Fora da Caridade não há salvação
Francisco Cândido Xavier
Franco, Divaldo Pereira
Fropo, Berthe
Galeria d'Orléans
Gama, Zilda
Glândula Pineal
Herculano Pires
Herege
Heresia
Hippolyte-Léon Denizard Rivail
Home, Daniel Dunglas
Humberto de Campos
Inquisição
Irmão X
Irmãs Baudin
Jackson Davis, Andrew
Joanna de Ângelis
Johann Heinrich Pestalozzi
José Herculano Pires
Julie Baudin
Kardec, Allan
Kardecismo
Lachâtre, Maurice
Lamennais
Laurent de Faget
Léon Chevreuil
Léon Denis
Leopoldo Cirne
Linda Gazzera
Livraria Dentu
Madame Kardec
Mal
Maurice Lachátre
Médium
Mediunidade
Metempsicose
Misticismo
Místico
Moderno Espiritualismo
Necromancia
O Livro dos Espíritos
Obras Básicas do Espiritismo
Oração
Palais-Royal
Paráclito
Parasitismo psíquico
Pélagie Baudin
Percepção extrassensorial
Pereira, Yvonne A.
Pestalozzi
Pineal
Pneumatografia
Prece
Quiromancia
Religião
Revelação Espírita
Rivail, Hypolite-Léon Denizard
Santíssima Trindade
Santo Ofício
Schutel, Cairbar
Sentido Espiritual
Sexto Sentido
Silvino Canuto Abreu
Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas
SPEE
Terceira Revelação
Tribunal do Santo Ofício
Ubiquidade
UEF
União Espírita Francesa
Vampirismo
William Crookes
X, Irmão
Xenoglossia
Yvonne do Amaral Pereira
Zilda Gama

Laurent de Faget



Adolphe Laurent de Faget (8 de outubro de 1846, Montpellier, França – 15 de dezembro de 1912, Paris) foi um publicista, poeta e um dos mais influentes baluartes do Espiritismo pós-Kardec na França. Foi membro de várias entidades, algumas das quais foi presidente, dentre as quais: Sociedade do Espiritismo Científico, Sociedade Fraternal de Estudo Científico e Moral do Espiritismo e a Federação Espírita Universal. Por dois anos foi redator-chefe do jornal Le Spiritisme, também fundador do jornal Le Progrès Spirite, que administrador por mais de uma década e meia. Denunciou e combateu desvios doutrinários no meio espírita e gozou da amizade e apoio das grandes personalidades espíritas de sua geração, dentre os quais Delanne, Madame Fropo, Denis, Sausse e o casal Sophie e Michel Rosen.


Adolphe Laurent de Faget



Vida pessoal, obras poéticas e descoberta do Espiritismo

Faget era filho de um comerciante, que igualmente era poeta nas horas vagas — quem certamente lhe serviu de inspiração para suas futuras obras literárias. Curiosamente, em sua certidão de nascimento não consta o sobrenome “de Faget”, como aparece na sua certidão de óbito.

Efetuou estudos nos liceus de Nîmes e Avignon. Trabalhou nos negócios de seu pai e se iniciou na literatura publicando versos e textos nos jornais de Avignon, cidade onde, ainda nos seus dezessete anos de idade, conheceu e abraçou a Doutrina Espírita. Ali publicou seu primeiro livro em 1877 Aspirations poéthiques (Aspirações poéticas).

De Avignon, em 1878, partiu para trabalhar em Lyon, lá residindo até 1885, quando então se estabeleceu definitivamente em Paris. Ali lançou seu segundo livro, La Muse irritée (A Musa Irritada), de 1885, que teve uma boa aceitação e gerou certa polêmica na imprensa por ser uma resposta ao materialismo e niilismo que o poeta Jean Richepin imprimiu em Les Blasphèmes (As Blasfêmias) (1884).

Em Les Pensées de Carita et les Réflexions de Marie (Os Pensamentos de Cáritas e as Reflexões de maria), lançado em 1888, Faget informa no prefácio se tratar de uma obra mediúnica, sob o ditado de dois Espíritos, que ele recebeu em algumas noites de inverno. No ano seguinte, viria a lume De l'Atome au Firmament (Do Átomo ao Firmamento), uma coleção de poemas patrióticos e filosóficos, contendo cartas lisonjeiras de ninguém menos que Victor Hugo. Log mais em 1897 ele publica L'Art d'être heureux (A Arte de ser feliz), com poemas íntimos e familiares.


Ma chère morte (1913), livro de Laurent de Faget


Traços autobiográficos e reflexões sobre a vida e o pós-morte compunham sua obra derradeira: Ma chère Morte – Mes relations avec l’au-delà – Études – Critiques – Souvenirs (Minha cara Morte - Minhas relações com o além-túmulo - Estudos - Críticas - Recordações), concluída pouco antes de sua morte e só publicada postumamente, em 1913.


Atividades Espíritas de Faget

Desde jovem Faget esteve engajado no movimento espírita, mantendo-se fiel aos preceitos kardecistas em face de uma onda de dissidências e correntes espiritualistas estranhas se infiltrando no Espiritismo. Ele permaneceu aliado aos confrades reconhecidamente seguidores dos ideais de Allan Kardec, tais como Gabriel Delanne, Berthe Fropo, Léon Denis, Henri Sausse e o casal Sophie e Michel Rosen, signatários da União Espírita Francesa (UEF), que faziam frente à Sociedade Anônima liderada por Pierre-Gaëtan Leymarie, que se consorciara com o roustainguismo promovido por Jean Guérin e com a teosofia de Helena Blavatsky.

O nome de Laurent de Faget apareceu em várias edições do Le Spiritisme (O Espiritismo) (jornal oficial da UEF) fazendo referências às suas obras, suas participações no movimento espírita francês, seus discursos e apresentando vários artigos de sua autoria. Observa-se pelas citações que ele teve um papel atuante em diversas sociedades e participou em vários eventos doutrinários.


Le Spiritisme (O Espiritismo), jornal da União Espírita Francesa


Uma dessas aparições consta na edição da 2ª quinzena de março de 1884, na página 12, na publicação de um protesto oficial da UEF contra a realização do Congresso Espírita Universal de Roma, que estava sendo proposto por Jean Guérin, para se realizar em 1885; o artigo declara solenemente a solidariedade ao Espiritismo e repudia o trabalho de Jean-Baptiste Roustaing, dito caluniador de Allan Kardec; o artigo foi publicado conjuntamente com os protestos dos líderes dos grupos espíritas lioneses, dentre os quais constava: A. de Faget, residente na Praçla des Pénitents-de-la-Croix n° 8, Lyon.

No jornal da 2ª quinzena de maio de 1888, do Le Spiritisme, nas páginas 110 e 111, temos a publicação de uma correspondência datada de 20 de abril daquele ano, de Henri Sausse à Gabriel Delanne, enaltecendo as qualidades de Laurent de Farget, que tinha sido o primeiro presidente da Sociedade Fraternal de Estudo Científico e Moral do Espiritismo (Société Fraternelle d’Étude Scientifique et Morale du Spiritisme), enquanto teve Sausse como seu vice.

Conforme informado no Le Spiritisme de outubro de 1889, página 146, o senhor Laurent de Faget apareceu como um dos secretários do Congresso Espírita e Espiritualista Internacional ocorrido naquele ano. No referido Congresso foi formada uma comissão de propaganda para divulgação dos assuntos ali abordados, onde o Sr. Faget foi eleito para um dos cargos da comissão; seu papel aparece no prefácio da ata desse Congresso: “O Sr. Laurent de Faget irá ler todos os documentos enviados ao Congresso, irá classificá-los para impressão completa, ou efetuará os resumos, trabalho delicado que requer flexibilização e muita sensibilidade. O Sr. Laurent de Faget fará esta contagem conscienciosamente”. A ata também inclui a transcrição do discurso de Laurent de Faget, em 16 de setembro de 1889, do qual extraímos o trecho a seguir, em que exalta a união dos confrades:

"A nossa união, Senhoras e Senhores, é uma nova força ao serviço do verdadeiro espiritualismo, daquele querido espiritismo, tão desprezado, tão ridicularizado nos seus primórdios e que hoje, graças aos corajosos esforços dos nossos antecessores e um pouco dos nossos esforços também, cada vez mais toma seu lugar incontestável entre as doutrinas que reavivam o homem e o fazem apreciar saudavelmente o propósito da vida."
Compte rendu du Congrès Spirite et Spiritualiste International de 1889

De Faget também foi eleito em 1890 presidente da Sociedade do Espiritismo Científico (Société du Spiritisme Scientifique), sediado na Rua Saint-Denis n° 183, em Paris — mesmo endereço que ocupou a União Espírita Francesa em 1887 e 1888.

No mesmo jornal da UEF, agora na edição de novembro de 1890, foi publicado o estatuto da Sociedade do Espiritismo Científico e ainda o discurso de posse do Sr. Faget, como presidente da referida sociedade, na sessão que ocorreu em 7 de outubro daquele ano.

Em junho de 1891 ele e Gabriel Delanne foram admitidos como membros honorários da Sociedade Fraternal para o Estudo e Moral do Espiritismo (Société Fraternelle pour l’Étude et Morale du Spiritisme) da qual o presidente era Henri Sausse e Léon Denis seu presidente de honra.

O Le Spiritisme de maio de 1892, nas páginas 67 a 69, aparece o discurso de Faget — na cerimônia de comemoração do aniversário de morte de Allan Kardec — entre outros discursos, inclusive os de Gabriel Delanne e Henri Sausse.

Na assembleia realizada em Paris a 20 de novembro de 1892, estando reunidos os membros do Comitê de Propaganda, dos Comitês da Sociedade Fraternal Espírita e da Sociedade do Espiritismo Científico, bem como os chefes ou delegados de trinta grupos parisienses, além de um grande número de espíritas conhecidos pela dedicação à doutrina estabelece-se a criação da Federação Espírita Universal (Fédération Spirite Universelle) sendo Laurent Faget eleito seu presidente, com o apoio de Gabriel Delanne e Léon Denis. No Brasil, o jornal Reformador, edição de 15 de fevereiro de 1894, também noticia a fundação dessa Federação.

Ele esteve ao lado de Delanne compondo o Comitê de Propaganda da Federação Espírita Universal na sessão extraordinária de 16 de fevereiro daquele ano, quando ali foi tratado de um assunto perturbador: Pierre-Gaëtan Leymarie havia acusado Laurent de Faget — através de uma pessoa conhecida — de haver praticado fraudes na Livraria Espírita, onde havia trabalhado em 1888; confrontado, Faget acusa Leymarie de imputações caluniosas. Por fim, nada foi comprovado contra Faget, que apresentou uma série de documentos que contradiziam as acusações de Leymarie; este, por sua vez, renunciou ao cargo de membro do Comitê de Propaganda, enquanto Laurent de Faget recebe o voto de confiança de todos os membros da assembleia.


1ª edição do jornal Le Progrès Spirite (jan/1895)



Na direção do Progrès Spirite

Depois da dissolvência da União Espírita Francesa em 1891, os direitos do jornal Le Spiritisme foram legados ao seu editor-chefe, Gabriel Delanne, que, por motivos pessoais e por estar impossibilitado de continuar dando ao periódico o devido cuidado, transfere a propriedade do jornal para Arthur d'Anglemont. A partir de outubro de 1893, Faget passa a ser o novo redator chefe da parte espírita e literária daquele jornal, permanecendo assim até dezembro de 1894, quando, por divergências com Sr. d'Anglemont, deixa aquele cargo e um mês depois já lança um jornal próprio: Le Progrès Spirite (O Progresso Espírita). Os seus esclarecimentos sobre as questões com o proprietário do Le Spiritisme foram oferecidas na primeira edição daquele novo jornal, através do artigo denominado “Calúnia”:

"Os assinantes do jornal Le Spiritisme, dentre os quais contamos com muitos amigos pessoais, receberam uma circular assinada pelo Sr. Alphonse Argence contendo imputações caluniosos a nós endereçadas. (...) Devemos aos espíritas de Paris e ao próprio Espiritismo não deixar pairar qualquer dúvida sobre nossa honorabilidade. (...) Tenho consciência de ter cumprido, durante todo o tempo das minhas relações com o Sr. d'Anglemont, ou seja oito anos, meu dever integral de colaborador e amigo. Tenho as mãos cheias de testemunhos escritos da estima e afeição do autor de O Ominiteísmo [Sr. d'Anglemont]. Hoje, obedecendo a influências que não desejo qualificar, ele chega a esquecer aqueles testemunhos e a nossa velha amizade e os serviços que lhe prestei; ele me deixou ser insultado publicamente pelo homem que, após ter tentado retirar minha posição material, procura ferir-me moralmente pela calúnia. Os tribunais julgarão."
Le Progrès Spirite - 1ª edição, jan. de 1895, p. 15 e 16

Durante o seu período de circulação do Le Progrès Spirite — de janeiro de 1895 a 1912 — teve como administrador e redator-chefe Adolphe Laurent de Faget. O periódico foi assumido como o órgão de imprensa oficial da Federação Espírita Universal, como consta até a edição número 8, 2º ano, referente a agosto de 1896; desde então aquela Federação passaria a produzir o seu Boletim próprio (Bulletin de la Fédération Spirite Universelle); tudo isso sem prejuízo para as relações entre as maiores personalidades espíritas, tanto que em 1897 é publicado uma matéria sobre a reorganização do Comitê de Propaganda da mesma Federação Espírita Universal, em que Faget continua como presidente e Gabriel Delanne é o Secretário Geral.

No Le Progrês Spirite número 2 - 4º ano, de 20 de janeiro de 1898 (página 16), é publicado um artigo denominado “Processo dos herdeiros da Sra. Allan Kardec – Declaração do Comitê de Propaganda da Federação Espírita Universal”. O texto afirma que o senhor Leymarie era só um comerciante e não fazia parte de nenhuma sociedade espírita. O artigo faz críticas ao uso dos recursos pela antiga Sociedade Anônima, que não teriam sido utilizados para a propagação da Doutrina Espírita e que o patrimônio recebido pela sociedade oriundos da Senhora Kardec (Amélie-Gabrielle Boudet) poderiam retornar aos herdeiros.

O prestígio de Laurent de Faget entre os confrades permanece inabalado; em 1900 ele é instituído presidente do Comitê de Propaganda para a organização do Congresso Espírita e Espiritualista Internacional, em Paris. Seu posicionamento firme e autêntico de fiel kardecista também ficou registrado no Le Progrès Spirite de número 4, de abril de 1909, em que se encontra o artigo “O Cristo e a Igreja” (“Le Christ et l’Église”) pelo qual podemos conhecer sua opinião sobre as teorias de J.-B. Roustaing (veja também seu livro Ma chère Morte – Mes relations avec l’au-delà – Études – Critiques – Souvenirs, capítulo XXXIII) referente ao corpo fluídico de Jesus, do qual retiramos apenas um pequeno trecho:

"(...) Jesus, um homem, e um homem como nós, é ainda mais admirável em seus ensinamentos, em seus atos públicos, nas provas da vida e na prova suprema de sua morte. Um ser puramente fluídico não teria nenhum mérito em suportar os males deste mundo, pois, na realidade, ele não os teria sofrido, sua natureza especial protegendo-o dos ataques físicos do mal. E mais: o martírio de Jesus, nestas condições, parecer-me-ia um engano. Não, não, não posso acreditar no Cristo fluídico; Creio em Cristo encarnado como todos nós, tendo lutado como todos nós para desenvolver nele as suas altas faculdades; admiravelmente homem, mas mantendo o divino através da beleza, grandeza de sua alma..."
Le Progrès Spirite – n° 4 – ano 15, abril de 1909, p. 52

Faget também acompanhou e registrou diversas vezes em seu periódico o desenvolvimento do Movimento Espírita no Brasil. Na primeira edição de 1900, por exemplo, ele fica exultado com a publicação intitulada Revista Espírita de Porto-Alegre celebrando o aniversário de nascimento de Allan Kardec, pelo que vai dizer:

"É realmente um prazer para nós apresentar aos nossos leitores os sentimentos elevados dos espíritas do Brasil ao publicar sua filial homenagem ao nosso venerado Iniciador."
Le Progrès Spirite – n° 1, 6° ano, jan. de 1900, p. 3

Já na edição de n° 10, 18° ano, publicada em outubro de 1912, ele vai destacar o relato de Leopoldo Cirne, então presidente da Federação Espírita Brasileira, sobre a situação do Espiritismo em terras brasileiras, segundo o qual ainda estava na sua "infância", justificando assim: "(...) a extensão territorial e a lentidão das comunicações marítimas e terrestres ainda representam obstáculos, e não menos importante, ao desenvolvimento e intensidade desta obra, em especial à realização de grandes congressos nacionais nesta capital, devendo os delegados fazer longas e caras viagens para aí se chegar."


Morte e reconhecimento

Anunciando a morte de Laurent de Faget (13 de dezembro de 1912), então com seus 66 anos de idade, seu confrade e amigo Gabriel Delanne publicou um artigo na Revista Científica e Moral do Espiritismo (Revue scientifique et morale du spiritisme), em que diz:

"(...) Desde muito jovem, ele colaborou com diversos jornais e procurou conhecer mais e mais a doutrina de Allan Kardec, de quem foi um discípulo fiel. Escritor elegante, ele soube comover seus leitores fazendo vibrar neles o sentimento, o que não excluiu o argumento lógico que tomou seu lugar para reforçar seu argumento. Ele sabia como expor claramente os problemas mais obscuros da outra vida e sua certeza dos benefícios que se pode experimentar da comunicação constante, enquanto sábia e esclarecida, com o mais-além."
Revue scientifique et morale du spiritisme - n° 7, jan. de 1913, p. 436 e 437

A amizade de que gozava dos grandes personagens espíritas de seu tempo é uma prova que se soma aos registros de suas obras — livros que escreveu, revistas que dirigiu, artigos que publicou — para figurar seu nome na galeria dos mais fiéis seguidores de Allan Kardec, em defesa e na propagação dos postulados da Doutrina Espírita.


Referências

  • Adolphe Laurent de Faget: levantamento bibliográfico, site AKOL - Allan Kardec Online - Ebook.
  • Adolphe Laurent de Faget em Autores Espíritas Clássicos (visitada em jan. de 2021).
  • Jornal Le Progrès Spirite, coleção de 1895 a 1912 - Ebook.
  • Jornal Revue Scientifique et Morale du Spiritisme, coleção 1896 a 1926 - Ebook.
  • jornal Le Spiritisme, coleção 1883 a 1895 - Ebook.
  • Revista Reformador da Federação Espírita Brasileira, especialmente a edição de 15 de fevereiro de 1894 - Acervo online.




© 2014 - Todos os Direitos Reservados à Fraternidade Luz Espírita

▲ Topo